sábado, 19 de dezembro de 2009



Quero comprar acessórios da marca "Poesia em Pano", alguém me disse que são originais e femininas, como eu ...

A sensualidade pairando na ingenuidade dos anos 1950

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

As mulheres que adoram as peças da "Poesia em Pano"




Mensagens pssicografadas de mulheres interessantes e sensuais...

São de muito bom gosto as peças da marca "Poesia em Pano" Eu adoraria usar....e é um ótimo título! Mulher, além de inteligente, antenada, tem que ser atraente e feminina!

Mensagens psicografadas sobre a marca "Poesia em Pano"


-É tão feminina esta marca, você multiplica sua capacidade de sedução, os homens adoram a delicadeza dos acessórios. E é tão sensual usar uma flor no cabelo... uma noite o John (Kennedy) arrancou com os dentes a flor vermelha que eu usava...
E são peças únicas, ninguém , nem nenhuma loja do mercado de moda tem parecido...

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Gosto muito de colares laranja, parece que refletem o sol no peito.

Use e abuse das cores.Elas iluminam o seu jeito de ser...




Écharpes que viram colar...ou até pulseira, faixa de cabelo, o bom é diversificar!

Para mulheres descoladas e sensíveis...






Gostou? Entre em contato, faço para você acessórios com o seu jeito único de ser.

Ou então , escolha uma roupa que quer que seja modificada, a peça se transformará em única, só você terá!


"POESIA EM PANO" - a marca da mulher que gosta de ser mulher.div>

Peças únicas para quem prefere a originalidade.

Visitas personalizadas, é só agendar. Presenteie com arte.
Telefone da estilista (21)87522924.

Colares, broches , pulseiras, brincos, cintos,arcos, pregadeiras, tudo de muito bom gosto e criatividade.







"É de muito bom gosto , são peças únicas, personalizadas, tudo que uma mulher original quer... " colares,cintos,brincos,pulseiras, adornos de cabelo, etc....
- Marca ecologicamente correta pois são peças feitas a partir de retalhos jogados no lixo(luxo)das confecções...
-Preços acessíveis para presente de Natal.

-E a estilista marca visita em sua casa para você escolher com calma e exclusividade.
-Sabe aquela peça de roupa antiga, esquecida no armário? Customize-a, ficará nova e originalíssima, uma peça que só você tem.

As mulheres estão comentando , os homens estão encantados com a feminilidade e a leveza dos acessórios da marca "POESIA EM PANO"....abaixo comentários psicografados das mulheres que usariam esta marca!
"Adorei as flores de cabelo e os colares .
" Tem um bom título esta marca :" Poesia em Pano" !

...." eu usaria os adornos de "Poesia em Pano" se estivesse encarnada no verão 2010 do Rio..... é feminino e poético demais !

Adooorooooo anos 1950, tem tudo a ver com moda e atitude!!!!!





segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Amo as minhas peças, autoestima mil! rs



Ando muito leve e feliz apesar do cansaço, mas é um cansaço tão bom, é como depois do amor, aquela lerdeza, um relaxamento da alma, um nirvana...rs
Veja as outras postagens que são novíssimas, não perca o deslumbrar das cores... pela primeira vez na vida estou feliz profissionalmente, fiz uma escolha perfeitinha para mim, do meu jeito.Criação, criação, não posso parar que a minha cabeça começa a rodar..."dizem que sou louca por eu ser assim, mas louco é quem me diz que não é feliz ...eu sou feliz".Apesar de preferir "ser esta metamorfose ambulante, não ter aquela velha opinião formada sobre tudo" ...roubando versos de Arnaldo Batista(rs) e Raul Seixas, mas é por uma boa causa !

Bom de se ver...as cores do verão brasileiro!

Retalhos transformados em adornos femininos...


Broches, arcos , grampinhos, colares, tudo para emoldurar a beleza das mulheres...
Obs.:Leiam "Mulheres" de Buchowsky.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Praia Rasa...


Tipo assim: eu me chamo Naiara e você Itajara, a gente acaba se esbarrando na praia de Charitas eu popozuda você descolado me paga um xis- tudo? Tomamos todas, de repente a pele se toca, é coisa de pele, escuta a Nativa vem lá do quiosque, o amor do rio, eu morro de rir das suas piadas, dançamos pagode e vamos andando até São Francisco.Amanhã eu trabalho a patroa me espera dou um duro danado de segunda até sábado outra vez?Então: tá ouvindo? Musicão, vou entrar na água passa óleo nas minhas costas tô cheia de areia, enche meu copo,vai pagar quantas? compra camarão no espeto adoro quentinho do sol, logo mais tem ensaio da Viradouro se der eu vou ,quanto que é a entrada, mulher é só 5 antes das 10, legal é isso aí, mas vem cá tá ouvindo? Musicão saindo aqui do meu dentro em breve ,sei lá tenho pensado em você mulher é fogo se apaixona fácil , você vem com tudo eu chapada enviesada vai saber.Se liga aí, 10 da manhã te encontro, o 61 está cheio, que beijo suado, fiz uma chapinha, fiquei na dúvida ,você gostou? Tem cheiro forte mas depois acostuma, meu coração tum tum tum , eu tenho 16 e você 23, não tomo remédio e nem consigo te evitar meus olhos se fecham, a noite caiu, a praia vazia, ninguém viu. Mamãe vai saber, mais um pra comer, você quando conto não vai mais ao encontro, minha barriga cresce. A patroa se emputece ,me manda embora, não tenho carteira assinada, entrar na justiça? Demora muito, preciso trabalhar, faço faxina, lavo passo e adormeço ,que mané pré-natal ,tem que pegar número no posto ,como mexe o bebê, estou cansada ,mamãe diz que é assim mesmo , minha vizinha me falou que também tinha 16 quando teve o primeiro, que não foi o último ,que passa fome e não tem emprego patroa chata ainda bem que hoje é sexta.Tipo assim: eu me chamo Naiara você Ubirajara que faz bicos, ajudante de pedreiro, bebe muito e me bate, um dia vou embora ,desgraçado, covarde, meus filhos choram, vem aqui com mamãe,minha barriga pesa, vai nascer, vai ser o último, mulher é fogo, se apaixona fácil ,só tem arroz, vai trabalhar vagabundo, nunca desejei essa vida nem quero o mesmo para meus filhos .Então: eu sou Maiara,você Anderson sou filha de Naiara e Ubirajara,eu popozuda você descolado me paga um xis- tudo? Mulher é fogo, se apaixona fácil, não tomo remédio não consigo te evitar, meus olhos se fecham a noite caiu, a praia vazia,­­­ninguém viu.

Dayse Mary de Andrade

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Domingo de Luz


Por dentro aquele sabor de fruta mais do que madura, daquela que a gente esquece lá no fundo das bagagens de supermercado das quimeras. Delírios de segundos cadernos onde quase tudo é permitido, eis que me vem uma balada triste que me faz lembrar alguém, alguém que não existirá jamais. Mania de querer enquadrar todas as paixões e mal-querenças nos meus modelos, até hoje converso com Lacan para deixar ou pelo menos tentar aprender a deixar que o outro seja. Lá fora é domingo, na casa e na angústia não há calendário. Que tal passear no Campo de São Bento com esses anseios e sem nenhuma assepsia arrancar do peito esse grito, um grito de silêncio permeando a Mário Viana. Domingo é dia de pescaria e lá vou eu no bloco do que será ou seria se eu tivesse escutado o que mamãe calava. Outra vez vou falar mal do mundo até às próximas eleições. Olha que a vida é tão linda, é febre, sim, a vida é febril e para este bom mal não há remédio coração. Ninguém tem culpa da minha desolação. Vou caminhando de braços com a ambigüidade. E em pleno calçadão de Icaraí
Escolher o sabor do sorvete, questão crucial. Quero mocotó, é um barato very sexy. Nossa, como me falta contemporaneidade: se alguém perguntar o que é o baião eu saberei dizer... Maxixe não é só um ensopado. E saltimbancadeando pelas ruas, o que fazer da vida? Uma trilha sonora, uma dança, uma peça. Bom decorar com glacê tudo que for amargo de engolir, pare de dourar a pílula, está todo mundo de ressaca moral e cívica. Ninguém agüenta mais. Agora, sinto meu corpo vibrar solavancado, sentado no banco da viação 53. Chegando em casa é Fantástico, teu travesseiro vazio, dou graças aos céus, vou me espalhar na cama. Eu sou feliz tendo você sempre afastado.Cansaço, cansaço, cansaço, cansaço, afinal, de me fazer tanto bem escrevendo, minha cabeça estava um lupanar, como sou antiga, de onde tirei isto? Alguém da porta da Colombo me sussurrou que a vida é ensolarada, como um flash, apenas um pouquinho - você vai adorar. Sabor da laranja fresca; não aquela fruta lá de cima de quando comecei esta ‘croniqueta’ que não-sei-bem-se-é-gostaria-que-fosse, mas sou apenas alguém que se derrama nas palavras. Indefinida, imprecisa, mas que depende da sua boa vontade, íntimo leitor, se é que você me entende. No fundo somos todos iguais nesta noite. Tudo pode ser dito, de uma maneira ou de outra. Escuta, vou lhe mandar um recado: quem sou eu pra ter direitos exclusivos sobre ela: a dona palavra. Venha de onde vier, chegue de onde chegar, é no mínimo nossa salvação. Bendita palavra. A que nos move agora, eu cheia de dedos e você todo ouvidos para me receber ou ler ou rasgar. Quem sabe, mas tanta coisa que eu tinha a dizer, são só 35 linhas tenho que caber toda nessas mal traçadas linhas. Nossas vidas andam juntas mesmo no desconhecimento de causa, as dores os prazeres são humanos e assim iremos. De 53 ou em 35 linhas.

Dayse Mary de Andrade

quarta-feira, 11 de novembro de 2009


Estou adorando postar imagens no blog, mas não sei como colocar as fotos em tamanho maior...alguém sabe para me ensinar?

Reclame dos anos 1950

Anos 1950 - adoráveis , maravilhosos e sedutores tempos...


.

As certinhas do Lalau - anos 1950


Adoro a estética dos anos 1950, as atitudes, os hábitos, Joaquim Ferreira dos Santos é que está certo no título do seu livro "1958 - o ano que não devia ter terminado"

Sou muito "vintage", o que será que significa essa palavra tão usada atualmente no mundo da moda? Vou jogar no google para saber. O google agora é o pai dos desinformados...rs